O voto e a democracia

 

 

O direito do exercício de cidadania e democracia será visto mais uma vez no domingo, diante das urnas, quando cada cidadão deverá escolher o candidato mais preparado para comandar o Estado e o País. A poucos dias das eleições, é tempo de avaliar cada proposta de forma clara e serena. É importante também depurar quais as notícias falsas (o chamado fake news) e quais as verdadeiras. Hoje em dia, diversos sites podem auxiliar o eleitor com dados corretos.

 

O momento é bastante oportuno para colocar as ideias em prática, já que, na próxima quinta-feira, comemora-se o Dia da Democracia. Aliás, um dos propósitos da democracia é participação. Ao longo dos anos, diversas conquistas marcaram a nossa história e são lembradas atualmente. Em fevereiro de 1932, na era Vargas, o voto feminino foi estabelecido em todos País, depois de um grande esforço pelos direitos das mulheres.

 

Os próprios militares, como eu, passaram por “repressões” na hora do voto. Chamada de Constituição Democrática, a Constituição Federal de 1988 consagrou o voto universal, isto é, o direito de todos se tornarem eleitores, independentemente de sexo, renda ou categoria profissional. Atualmente, há restrição apenas para os conscritos, durante o período do serviço militar.

 

Nem sempre foi assim! Os cabos e soldados, até 1988 não podiam votar, e a ausência desse direito fazia com que essa categoria fosse sub-representação nos cargos eletivos, pois a grande maioria dos integrantes da Polícia Militar não podia votar.

 

Desta maneira, votar é mais que preciso! Votar é necessário! Converse com seus familiares, amigos e conhecidos. Faça uma espécie de debate para que ideias possam ser trocadas até a reta final das eleições. Vá além: tente acompanhar os encontros de candidatos nas principais emissoras de televisão. Os rádios também têm sido relevantes meios de comunicação para essa finalidade.

 

Atualmente, após 33 anos usando essa valorosa farda, sendo os três últimos como Comandante-Geral da Polícia, tenho satisfação e a responsabilidade de ser um representante no Parlamento Paulista desses homens e mulheres que chegam a doar sua vida em prol da sociedade paulista. Sempre pautei meu trabalho pela ética e pela cidadania. Tanto que, logo no início do mandato, criei e sou o Coordenador da Frente da Família Cidadania e Cultura na Assembleia Legislativa.

É importante que cada cidadão procure saber o que está sendo feito de melhor para sua cidade ou bairro. É importante, ainda, participar ativamente de ações que melhorem o ambiente que vivemos. É desta forma que iremos seguir com progresso. Domingo é dia de compromisso com a cidadania!

 

*Publicado no Jornal Estação dia 24 de outubro de 2018

Please reload

Arquivo de notícias

18/12/2018

Please reload

Desenvolvido por @carinarabelo.com