O policial que protege. E educa!

 

Não só os pais como todos nós podemos proteger as crianças e os adolescentes do contato com as drogas. Conjuntamente, resgatar os valores éticos e morais e o respeito à família. Essas missões têm um significado maior na Semana de Prevenção ao Uso de Drogas, que termina no próximo dia 29. Está em nossas mãos garantir um futuro melhor para nossos filhos.

 

Existem várias maneiras de ajudar. A Polícia Militar de São Paulo contribui muito nesta linha por meio do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – PROERD, que está ligado diretamente ao policiamento comunitário. Em São Paulo, começou em 1993, com a primeira turma de instrutores formados na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB).

 

O trabalho tem sido desenvolvido dentro das salas de aulas e é direcionado aos estudantes das escolas públicas e particulares, matriculadas na Educação Infantil e do 5º ano e 7º ano do Ensino Fundamental. Escolas públicas e privadas fazem parte do programa. Ao longo dos anos, o PROERD tem tido uma ótima aceitação. Muitos de vocês irão lembrar, pois possivelmente já tiveram uma aula especial como essa.  

 

Em determinados horários, policiais fardados entram na classe e transmitem ensinamentos, como conceitos de cidadania, problemas que podem surgir com contato com as drogas, os PMs fazem as crianças entenderem melhor as diferenças sociais e ainda reforçam o que muitas vezes a criança não ouve em casa, infelizmente.

 

O programa é tão importante que, todos os anos, em maio, comemora-se o “Dia Estadual do PROERD” instituído pela Lei Nº 12.901, de 8 de abril de 2008. Eu, como Deputado Estadual, realizei, na Assembleia Legislativa, uma homenagem aos instrutores do PROERD pelo apoio educacional que fornecem às crianças. Tem como símbolo/mascote um leão, que sempre está presente em eventos ligados à educação feitos pela PM e representa coragem além de ser um animal forte.

 

Durante nossa rotina, sem contar o trabalho policial, também é possível colaborar, fazendo alertas dentro de nossas casas a respeito dos riscos que a droga causa à saúde e enfatizando que qualquer situação envolvendo entorpecentes pode virar uma ocorrência criminal. É de suma importância deixarmos claro, neste caso, principalmente aos adolescentes, que não se deixem levar pelas companhias. Sabemos que há muitos colegas que excluem os outros amigos por não concordarem em usar drogas. Isso é um grande erro.

 

Precisamos fazer os jovens entenderem justamente o contrário. Sábio é quem não segue esse caminho, pois não tem volta! Outro ponto a ser explorado é a ociosidade. Quanto mais atividades passarmos aos filhos, melhor, eles ocupam o tempo com cultura e entretenimento, tudo isso faz parte dos estudos. O papel social é engrandecedor e rende bons frutos no final.

Please reload

Arquivo de notícias

18/12/2018

Please reload

Desenvolvido por @carinarabelo.com