Reunião do Conselho Cívico e Cultural é marcada por palestra do Deputado Coronel Camilo

 

Incentivar a cidadania e o sentimento de pertencimento, especialmente nos jovens. Com essa missão, o Conselho Cívico e Cultural da Associação Comercial de São Paulo realizou, ontem, dia 21, uma reunião com integrantes da socidade civil organizada. Nesta edição, o Deputado Coronel Camilo esteve presente e ministrou uma palestra sob o título: "Cidadania, a importância de participar". Pelo menos 30 pessoas acompanharam a fala do deputado.

 

O convite partiu do responsável pelo Conselho Cívico, Adolfo Savelli, que agradeceu a ida do deputado ao grupo de debates, organizado uma vez por mês na Rua Boa Vista. Enquanto falava sobre cidadania, Camilo lembrou que, recentemente, ao passar pelo Terminal Bandeira, no centro, avistou a bandeira do Brasil rasgada. "Não é a primeira vez que isso ocorre. Quando estava na Câmara, ainda como vereador, a mesma bandeira ficou danificada e sua troca demorou", observou. "São pequenos detalhes mas que são importantes para todos nós."

 

Em sua explanação, o deputado lembrou ao público que é coordeador, na Assembleia Legislativa, da Frente Parlamentar da Família, Cidadania e Cultura, cuja finalidade é evidenciar a importância da família como célula base da sociedade. É, inclusive, coordenador da Frente Parlamentar de Segurança, que tem como objetivo discutir ações que ajudem a melhorar a segurança pública de São Paulo. Ainda na parte de internalização de valores, Camilo disse que pretende criar um projeto para retomar às classes da rede pública as tradicionais aulas de cidadania. "Não tem nada a ver com ditatura, como muitos podem questionar. É para incutir valores e incentivar o respeito à família, ao professor e o respeito à Pátria", completa.

 

Ao término do encontro, Pedro Penna Trindade, um dos integrantes do Conselho declamou o poema: Bandeira rasgada, de autoria de Frances de Azevedo. Confira abaixo:

 

 

BANDEIRA RASGADA

 

Chora nossa Bandeira vilipendiada,

Apunhalada no âmago do seu ser,

Ferida de morte nessa rajada

De golpes, nesse malquerer!

 

Chora nossa Bandeira por ver ultrajado

O Estado Democrático de Direito que, ao chão,

Jaz indefeso tão esmagado

Atingindo a alma do honesto cidadão!

 

Chora nossa Bandeira, retrato da Nação,

Pelos atos espúrios dos seus dignitários

Que não temendo qualquer repreensão

Engordam seus saldos bancários"

 

Chora nossa Bandeira por ver, ao léu,

Seus amados filhos seguirem rumo incerto

Onde nosso azul e estrelado céu

Por muitos foi olvidado, por certo!

 

Chora nossa Bandeira, chora,

Ante tanta iniquidade perpetrada

Contra esse povo que genuflexo ora

Pela salvação de nossa Pátria Amada:

BRASIL!

 

 

Please reload

Arquivo de notícias

18/12/2018

Please reload

Desenvolvido por @carinarabelo.com