Audiência pública reúne propostas para combater a desordem urbana em São Paulo

 

Policiais e especialistas em segurança participaram da discussão. O resultado vai gerar ações que serão encaminhadas às autoridades públicas 

 

O Deputado Estadual Coronel Camilo reuniu, na manhã desta quinta-feira, dia 05, especialistas em segurança para uma audiência pública na Assembleia Legislativa. Desta vez, o tema foi Desordem Urbana, como parte dos trabalhos da Frente Parlamentar de Segurança da qual Camilo é presidente. A discussão teve como objetivo citar os principais problemas ocasionados pela desordem nas cidades de uma forma geral e gerou medidas que serão encaminhadas às autoridades públicas ou transformadas em norma legal.

 

 

Participaram do debate o Coronel Reinaldo Zychian de Moraes, Comandante do Policiamento da Capital (CPC), o Inspetor Gilson Meneses, Comandante da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo (GCM), o professor Túlio Kahn, pesquisador e cientista político, o Coronel José Vicente da Silva Filho, ex-Secretário Nacional de Segurança Pública, o Coordenador Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGs), Evaldo Coratto, o Vice-Presidente da Associação Viva o Centro, Marco Antônio Ramos de Almeida, Humberto Dias, da Associação Comercial de São Paulo -  Distrital Pinheiros, além dos deputados Welson Gasparini e Coronel Camilo, que presidiu a mesa.

 

“A desordem urbana nas cidades atrai o crime. Uma área limpa e bem iluminada, ajuda a manter a qualidade de vida de um local e garante a segurança do cidadão. As cidades precisam de organização, no sentido de ordem”, explicou o proponente da Audiência Pública.

 

Camilo enfatizou ainda que a participação da população nos problemas que afetam o dia a dia dos bairros, ou cidades, são fundamentais. “Neste aspecto, acredito na força dos CONSEGs e na participação popular. Por isso, sempre digo que as pessoas devem frequentar as reuniões, lá estão representantes das polícias e prefeituras. Conheça o policial que faz ronda próximo ao seu trabalho ou sua casa.”

 

 

Geralmente, quando há desordem urbana, a Polícia Militar é a primeira a ser chamada. Sobre a desordem, o Coronel Zychian apresentou dados sobre os ‘pancadões’, sobre prédios invadidos na região central e também sobre a proliferação do comércio ambulante irregular. “Para se ter uma ideia, foram realizadas pela PM entre janeiro a setembro deste ano, 2.599 operações para coibir este tipo de evento irregular. Neste mesmo período, o COPOM recebeu 18.200 chamados para este tipo de problema.”

 

O Cel José Vicente e o professor Túlio Kahn citaram casos de grandes cidades, como Nova Iorque e Santos, que passaram por intervenções de ordem e melhoria na zeladoria urbana. Por fim, foi aberta a palavra para a professora Maria Christina Ielo Bello, Joseph Riachi, Marta Porta, Cel Nevoral Alves Bucheroni e Francisco Machado. “Esta forma de mandado participativo, principalmente com a realização desta audiência pública que trará resultados profícuos para todos, gerando proposições e normas legais, conforme o caso”, concluiu Coronel Camilo.

 

 

 

Please reload

Arquivo de notícias

18/12/2018

Please reload

Desenvolvido por @carinarabelo.com