Mais médicos para a Polícia Militar

 

A saúde da família policial-militar vive um momento delicado. Isso porque atualmente, São Paulo tem apenas 211 médicos militares em atividade, sendo que poderia ter mais. O Decreto nº 61.177/2015, que menciona a distribuição deste efetivo, estabelece um total de 264 oficiais para atender os PMs em todo o Estado. O dado é ainda mais grave na medida em que existem, também, os médicos afastados, em férias e os que se aposentam.

 

Preocupado com a saúde da tropa, o Deputado Coronel Camilo (PSD) falou sobre o tema hoje, no Plenário da Assembleia Legislativa, e se comprometeu a fazer uma indicação ao governador Geraldo Alckmin no sentido de resolver o problema. "Precisamos reverter essa situação o quanto antes com o ingresso de novos médicos militares", alerta. Normalmente, por dia, os oficiais atendem 35 PMs que adoecem. “É um trabalho imprescindível e que precisa ser preservado”, ressalta Camilo.  

 

Veterinários e dentistas - Os veterinários e dentistas enfrentam situações semelhantes. São 16 vagas previstas para profissionais cuidarem dos animais, porém, só 6 seguem preenchidas. Ao todo, são mais de 800 cavalos e cachorros pelo Estado, mantidos em 24 canis setoriais e 14 destacamentos de Cavalaria.

 

A saúde bucal também está em pauta. Das 183 vagas previstas 23 estão em aberto. “Por essa razão, os oficiais dentistas já concursados devem ser chamados e nomeados”, pede o deputado. “O Centro Odontológico da PM é um exemplo de bom atendimento. Está sempre com a capacidade plena de atendimento, mas os dentistas se desdobram em atender e realizar várias cirurgias para cuidar bem da tropa”, emenda.

Please reload

Arquivo de notícias

18/12/2018

Please reload

Desenvolvido por @carinarabelo.com